segunda-feira, 15 de junho de 2009

Homenagem especial

Eu hoje fui visitar uma amiga.
Eu hoje fui dizer.. adeus a uma amiga. Talvez...
Não sei se amanhã ela estará lá.
Não sei se amanhã ela me reconhecerá.
Porém, o mais importante disso tudo é: eu sei quem ela é. Eu sei o quanto ela lutou e tem lutado.
Força Rozi. Estou torcendo por você.
Força Rozi. Você sim, é uma guerreira.
Força Rozi. Você merece toda homenagem, todo reconhecimento.

Boa noite

4 comentários:

Carla disse...

Ah, não fico triste... É só que... poxa... tem dias em que a gente está mais, ahn... como dizer... mais de alma delicada, sabe como? Tem dia que a gente está um abacaxi, há outros em que estamos mais para maçã, mas há uns outros que somos como uma caixa de moranguinhos e qualquer coisa já abala a nossa integridade, amassa indelevelmente o nosso contorno de alma e nos faz chorar (morangos também choram...). Naquele dia, eu estava assim, toda morango.

Hoje, não estou tanto e, mesmo assim, com essas coisas que você disse sobre sua amiga, ai... já me senti toda pera d'anjou, macia, macia, fácil de se marcar.

Menina, você tem o dom da palavra. Na PM seria uma perda irreparável.

Carla disse...

Joaninhas em extinção? Que grandissíssima pena! São os únicos insetos realmente adoráveis. Os outros são ótimos, mas só no Animal Planet. Fico maravilhada vendo um louva-a-deus na televisão e horrorizada quando um pousa em uma parede da minha sala. Joaninhas, ao contrário, são sempre bem-vindas.

Lembro-me que, na minha infância e adolescência cretáceas, via joaninhas com alguma frequência (mais na infância, para ser totalmente honesta). Depois, foram escasseando. Aqui no "interiolllr" paulista vejo algumas. Uma por mês, ou um pouco mais, acho. Também não temos tanto problema com a dengue. Fiquei triste de saber que, aí, ou o mosquito pica ou a joaninha morre.

Agora, cá entre nós, relendo o comentário que fiz anteriormente, aquilo não é um comentário! Aquilo é uma feira livre! Afff!

Sobre você escrever muito bem, creia, é verdade verdadeiríssima! Quando era professora de língua portuguesa e redação, só queria encontrar um aluno que escrevesse metade do que você faz aqui no blog. Eu lhe bateria no ombro e diria: "Aluninho do coração, você venha às aulas porque gente inteligente bicho raro e de cujo convívio não posso me dar ao luxo de privar-me. Entretanto, saiba: você já passou de ano, viu."

hahahaha!

Maus e velhos tempos os de professora de gente grande. Arght!!!

Rô Papoulla disse...

Meus sentimentos por sua amiga. Um abraço...

Chris, mãe da Cecília disse...

Amiga querida, força, viu?

beijinhos,
Chris